Justiça e Dívida

"A cada um o que lhe é devido" (suum cuique tribuere) Devido-dívida - é interessante a gente pensar por que motivo é tão forte a dificuldade que a gente tem de pensar a questão da justiça fora de uma linguagem que usa o mesmo vocabulário empregado no discurso econômico. 1a hipótese: Nietzsche (Genealogia da Moral)… Continue lendo Justiça e Dívida

Lendo Rawls contra Rawls: um outro argumento a favor do argumento da posição original

Sabe-se que a teoria da justiça de John Rawls consiste em um esforço filosófico voltado à elaboração de um ponto de vista normativo capaz de equacionar potenciais divergências a respeito do que é devido a cada cidadão em matéria de direitos e deveres básicos. Nesse sentido, defende que apenas uma concepção política de justiça, isto… Continue lendo Lendo Rawls contra Rawls: um outro argumento a favor do argumento da posição original

Os três usos da razão prática em Habermas e o problema da justiça

"Que uma norma seja justa ou de interesse geral nada mais significa que esta norma merece reconhecimento ou que é válida. A justiça não tem nada de material, não é um determinado 'valor', mas é uma dimensão da validade."    Jürgen Habermas Uma das contribuições mais ricas do filósofo Jürgen Habermas para a teoria moral contemporânea foi… Continue lendo Os três usos da razão prática em Habermas e o problema da justiça

“Liberdade” e “valor da liberdade”em Rawls

Deixo aqui registrada uma explicação a respeito de uma dúvida colocada por uma aluna em relação à diferença entre “liberdade” e “valor da liberdade” que, em Rawls, aparece em um trecho de Uma Teoria da Justiça (referência abaixo), mais especificamente na página 221. A fim de facilitar o entendimento, reconstruo a sequência inicial do diálogo… Continue lendo “Liberdade” e “valor da liberdade”em Rawls

Moralidade e Universalidade – pequeno comentário didático

Toda norma moral ergue uma pretensão de validade universal na medida em que prescreve a mesma conduta para um universo de seres igualmente imputáveis, isto é, para pessoas cujas ações estão sujeitas aos mesmos critérios de condenação/absolvição. A universalidade, neste caso, é um corolário normativo da própria igualdade perante a lei. Por exemplo, a norma… Continue lendo Moralidade e Universalidade – pequeno comentário didático

Lattestemunho

Faz alguns anos que venho estudando o tema da justiça enquanto foco de um interesse filosófico a respeito das bases normativas da vida social. O meu ponto de partida consiste na constatação de que cada um de nós carrega consigo a expectativa de ser tratado como julga que merece, de modo que nada parece menos… Continue lendo Lattestemunho

Por que assombra a luz…

O que mais me espanta em análises que pagam ilimitados tributos a Nietzsche e a Foucault é a posição sempre mal explicada de um julgamento, ele mesmo, curiosamente imune ao império histórico da "imanência". O espanto decorre daquilo que Habermas classificou como uma "aporia", uma vez que tomar as relações de poder como último refúgio… Continue lendo Por que assombra a luz…

Justiça, litígio, moralidade e autorrespeito

1 - Já se observou algumas vezes que a consciência que adquirimos da nossa própria identidade pessoal se deve à capacidade que desenvolvemos de fazer promessas (RICOEUR, 2008, 2014; NIETZSCHE, 2017). Essa constituição dialógica do sujeito é também a base da sua relação moral consigo mesmo. Sem um outro a quem possamos confiar a nossa… Continue lendo Justiça, litígio, moralidade e autorrespeito

Quadro-resumo das principais perspectivas éticas segundo o problema da validade das normas

Advertência: O conceito de "ética" pode admitir muitas definições, a depender da abordagem que empregamos para tal fim. Aqui, optamos por uma abordagem francamente inspirada em Paul Ricoeur, para quem a ética se define como uma "reflexão de segundo grau sobre as normas" (RICOEUR, 2008b, p.50). Trata-se, portanto, de uma definição preocupada em destacar o… Continue lendo Quadro-resumo das principais perspectivas éticas segundo o problema da validade das normas

A ideia de justiça

Não faz justiça quem trata a própria ideia de justiça como apenas mais uma entre tantas outras. Podemos acusá-la de gozar de mais crédito do que ela merece, mas não sem antes já termos condenado o martelo a ter que cumprir o seu dever. A justiça é, portanto, a noção que levamos em máxima conta… Continue lendo A ideia de justiça